Top
A Escócia dos Mil Castelos - Novas Fronteiras Viagens
fade
1021
tour-item-template-default,single,single-tour-item,postid-1021,mkd-core-1.1.1,mkdf-tours-1.3.1,voyage-ver-1.5,mkdf-smooth-scroll,mkdf-smooth-page-transitions,mkdf-ajax,mkdf-grid-1300,mkdf-blog-installed,mkdf-breadcrumbs-area-enabled,mkdf-header-standard,mkdf-sticky-header-on-scroll-up,mkdf-default-mobile-header,mkdf-sticky-up-mobile-header,mkdf-dropdown-default,mkdf-light-header,mkdf-large-title-text,mkdf-title-with-subtitle,wpb-js-composer js-comp-ver-5.2.1,vc_responsive
 

A Escócia dos Mil Castelos

Tradicional expressão da Escócia medieval
Viagens com especialistas / A Escócia dos Mil Castelos

A Escócia dos Mil Castelos

desde 2580€

por pessoa
08 Set - 14 Set 2018
7 dias
Mín. 15 Pessoas

Viagem à Escócia

 

Altas e velhas torres, com paredes grossas de pedra e de configurações dramáticas, são a tradicional expressão da Escócia medieval. Profundos vales, altas montanhas, frios e escuros lagos, paisagens de tirar o fôlego formam o cenário onde assentam os castelos escoceses, joias escondidas da sua identidade histórica. Onde quer que se esteja, na Escócia um castelo nunca está longe. Calcula-se que tenham existido naquelas terras cerca de três mil. São edifícios que combinam fortificação e residência. Chegaram à Escócia com a introdução do feudalismo, por volta do século XII, substituindo antigas unidades celtas como as motas e os baileys.

Durante as Guerras de Independência, primeiro com William Wallace e depois com Robert the Bruce, o castelo medieval, de tipologia inglesa e continental, foi muito implementado, dominando toda a paisagem escocesa. Pelo final da Idade Média foram construídos novos castelos, alguns em escala grandiosa que podiam suportar maiores guarnições e, com a chegada da artilharia pirobalística (pólvora e canhões), as fortalezas da Escócia adaptaram-se para resistir a essas novas armas. Viviam-se os tempos do Renascimento, e as velhas estruturas adquiriam outros níveis de conforto e de sofisticação, mas mantendo constante o desenho rude, forte, medieval.

Nos séculos XVII e XVIII o significado militar destes castelos foi diminuindo, mas o sentimento rebelde e intransigente dos clãs escoceses e dos seus barões pode ser observado nas linhas arquitetónicas que ainda hoje os definem. E, esse estilo «baronial», vê confirmada a sua popularidade com a construção do castelo de Balmoral no século XIX, onde a atual rainha de Inglaterra se afirma como escocesa, quando por ali passa as férias de verão.

Visitar os castelos da Escócia é fazer uma viagem iniciática no tempo, através de um território repleto de cultura e de história, e onde, em cada um dos seus castelos, quase se pode sentir a presença de velhos fantasmas, criaturas irreais, que guardam antigas histórias de rebelião e de romance, contadas nesta jornada única através de lochs, moors e glens, sempre guardados por velhos castelos.

Ver itinerário

A Escócia dos Mil Castelos

desde 2580€

por pessoa

1º dia – 08 de setembro (sábado) – LISBOA | EDIMBURGO

Comparência no aeroporto 2h antes da partida para embarque num voo KLM com destino a Edimburgo. Chegada pelas 14h55, assistência e transfer privativo do aeroporto para o hotel Holiday Inn Edinburgh City West 4****(or similar). Após o check in no hotel, visitamos o castelo de Edimburgo, imagem de marca da cidade. O castelo de Edimburgo foi, desde o século XIII, uma fortaleza estratégica e ainda hoje se encontra em funcionamento. Dentro do castelo podem ver-se algumas das joias da coroa da Escócia, a capela mais antiga de Edimburgo e, ainda, apreciar as vistas deslumbrantes sobre a capital escocesa. Ali se pode ver o Scottish War Memorial e visitar o Royal Scots Museum, ambos localizados dentro das muralhas do castelo. Ainda dentro da fortaleza podemos percorrer as New Barracks e o Museu do Regimento dos Royal Scots Dragon Guards. Ao final do dia, regressamos ao hotel. Aguarda-nos o jantar.

2º dia – 09 de setembro (domingo) – EDIMBURGO | STIRLING | SULZEAN | GLASGOW

Pequeno almoço no hotel. Após o check out, saímos em direção a Stirling. Aqui chegados o nosso guia mostra-nos os pontos mais importantes da cidade, incluindo o castelo de Stirling, local onde Mary Stuart cresceu e o rei James II assassinou William Douglas, o oitavo conde de Douglas. O castelo alberga ainda o Argyll & Southerland Highlanders Museum, onde poderemos ver uniformes, armas e alguns pertences pessoais de soldados deste regimento. A perspetiva militar continua com a nossa viagem a seguir até ao castelo de Culzean, onde uma magnifica vista sobre o First of Clyde nos aguarda. Este castelo teve, também, uma forte ligação ao presidente Eisenhower. O último piso foi-lhe oferecido, enquanto vivesse, em reconhecimento pelo seu relevante papel na Segunda Guerra Mundial e na vitória dos Aliados. Exploramos este opulento castelo subindo a fantástica escadaria oval e observando o arsenal bélico ali exposto. Terminamos o dia em Glasgow, onde se pernoita - Premier Inn Glasgow City Hotel 4****(or similar).

3º dia – 10 de setembro (2ª feira) – GLASGOW | LOCH LOMOND | INVERARAY CASTLE | GLEN COE | FORT WILLIAM

Pequeno almoço no hotel. Saída de Glasgow logo pela manhã em direção a Balloch. Aqui tomaremos o barco em direção a Loch Lomond onde as magníficas vistas de Ben Lomond e da Ilha de Inchmurrin, onde está o castelo de Lennox, nos irão deslumbrar. Construída entre 1745 e 1790, visitaremos a fortaleza de Inveraray, a tradicional casa dos duques de Argyll, os chefes do clã Campbell, muito próximo do lago Fyne. Viajando através da região do lendário rebelde Rob Roy, chegaremos a Weeping Glen, o local do massacre de Glencoe, a 13 de fevereiro de 1692, na sequência da revolta jacobita de 1689, e onde foram chacinados 38 homens do clã MacDonald. Iremos explorar, aqui, uma das mais bonitas e dramáticas zonas da Escócia. Dali partiremos para Fort William, que nos aguarda, à sombra de Ben Nevis, a mais alta montanha britânica. Dormiremos em Fort William Ballachulish Hotel 4****(or similar).

4º dia – 11 de setembro (3ªfeira) – FORT WILLIAM | ILHA DE MULL | FORT WILLIAM

Pequeno almoço no hotel. Hoje partiremos à descoberta da ilha de Mull. Tomaremos o ferry na parte continental em direção à ilha para visitar o castelo de Duart que guarda, orgulhosamente, as escarpas da ilha de Mulls dos perigos que vêm do mar, enquanto desfruta de uma posição única e espetacular na costa oeste da Escócia. Recuperado das ruínas em 1911, revisitamos ali 800 anos da história de um dos mais antigos clãs escoceses, os Macleans, e é hoje em dia um dos poucos castelos privados em toda a Escócia. Regressamos ao final do dia a Fort William para passar a noite.

5º dia – 12 de setembro (4ºfeira) – FORT WILLIAM | EILEAN DONAN CASTLE | FORT AUGUSTUS | INVERNESS

Após o pequeno almoço, deixaremos Fort William e viajaremos para oeste em direção ao castelo Eilean Donan. Preparemo-nos para uma pequena maravilha. Situado numa ilha, num ponto onde confluem três lagos rodeados por majestosos cenários, estas velhas torres irão deixar-nos boquiabertos. Assim que recuperarmos, seguiremos para Fort Augustus e, no caminho, faremos uma paragem para visitar o Memorial aos Comandos, um monumento que recorda os homens das Operações Combinadas que, nas horas mais negras da Segunda Guerra Mundial, mantiveram viva a esperança das democracias, ao efetuarem, na retaguarda das linhas inimigas, vitais operações de sabotagem. Daqui a vista para Ben Nevis é maravilhosa. Em Fort Augustus poderemos visitar (opcional) o Caledonian Canal Heritage Centre que conta a história do canal e a importância que a construção de um sistema artificial de canais sempre teve nas ilhas britânicas. Podemos, ali, repousar um pouco e olhar os barcos no lago, ou explorar o local, que está bem ao lado do famoso Loch Ness. A seguir, espera-nos um cruzeiro no lago, para chegarmos ao castelo Urquhart, um velho resistente, apesar do aspeto de ruina que hoje apresenta. Foi em tempos um dos maiores e mais importantes castelos da Escócia. Urquhart mantém uma belíssima torre de menagem, de onde se avistam Great Glen e o mítico lago Ness. Pelo final do dia, a nossa viagem leva-nos a Inverness, onde passaremos a noite Hilton Coylumbridge 4**** (or similar).

6º dia – 13 de setembro (5ªfeira) – INVERNESS | CASTELO DE BALMORAL | CASTELO DE DUNNOTTAR | CASTELO DE GLAMIS | PERTH

Pequeno almoço no hotel. A primeira visita de hoje será ao castelo de Balmoral. É um exemplo tipo da arquitetura escocesa, e tem sido casa da família real, em particular no verão, desde que foi comprado pela rainha Vitória e príncipe Alberto, em 1852. Depois, seguimos para este, em busca do castelo de Dunnottar, antigo forte medieval, hoje em ruínas, mas com uma história muito rica. Ali viveram, ou estiveram, muitas das grandes figuras da Escócia, como William Wallace, a rainha Mary da Escócia, o marquês de Montrose e o rei Charles II. Segue-se o castelo de Glamis, a casa de família dos condes de Strathmore e Kinghorne e, também, o palco da célebre tragédia de Shakespeare, a peça de teatro, Macbeth. Também foi a casa onde cresceu a rainha mãe e o local de nascimento da princesa Margarida. Será uma visita intensa, carregada por uma atmosfera onde centenas de anos da história escocesa nos aguardam. Partimos a seguir para Perth, onde nos espera o alojamento Royal George Hotel 4****(or similar).

7ºdia – 14 de setembro (6ªfeira) – PERTH | ROSSLYN | EDINBURGO | LISBOA

Pequeno almoço no hotel. Hoje iremos regressar a Lisboa, a nossa milenar cidade, mas não sem antes fazermos uma última visita à Rosslyn Chapel, em Edimburgo. Por fim, transporte para o aeroporto. Formalidade de embarque e saída em voo KLM com destino a Lisboa, onde chegaremos pelas 22H50. Fim de viagem.
Ver especialista

José Varandas

Historiador

José Manuel Henriques Varandas é natural de Lisboa e Professor Auxiliar da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa onde se doutorou em 2005 com a dissertação: «Bonus Rex» ou «Rex Inutilis». As Periferias e o Centro. Redes de Poder no Reinado de D. Sancho II (1223-1248).
Tem leccionado, desde 1990, na mesma Faculdade as disciplinas de História e Cultura Clássica II, História Medieval de Portugal, História da Cultura Medieval, História Rural Medieval, História Militar da Antiguidade, História da Tecnologia Militar da Antiguidade, História Militar Medieval, História da Marinha, História das Ideias Políticas: Idade Média e Arte Medieval (Geral).
É director do Mestrado Interuniversitário de História Militar, desde 2013.
É subdirector do Centro de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde também coordena o Grupo de Investigação de História Militar.
É investigador do Instituto de Estudos Regionais e do Municipalismo «Alexandre Herculano» e do instituto de Estudos Árabes e Islâmicos da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
Integra, como docente, o Mestrado de História Marítima realizado pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e a Escola Naval.
Integra, como docente, o Doutoramento em História Marítima realizado pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e a Escola Naval.
É académico correspondente da Academia Portuguesa da História e Membro Efectivo da Classe de História Marítima da Academia de Marinha, bem como sócio da Sociedade Portuguesa de Estudos Medievais e da Associação Ibérica de História Militar.
É responsável pelos seminários de Mestrado: História do Municipalismo; Sociedades Guerreiras da Reconquista, Armas e Sociedades: do Mundo Antigo para a Idade Média; Armas e Sociedades: Mundo Clássico, História Marítima (sécs. IV a.C.-XV d.C.), História da Tecnologia Militar, História Militar: teoria, métodos e fontes e Estudos de Arte Medieval.
Tem como áreas de interesse científico/investigação: História Medieval, História Militar, História Rural, História da Marinha, História do Municipalismo, História das Instituições.
Do conjunto de publicações destacam-se a edição dos sete primeiros volumes das Memórias Paroquiais de 1758, Lisboa, Editora Caleidoscópio/Centro de História da Universidade de Lisboa, 2016; D. Sancho II, o Capelo. 1223-1248, Lisboa, Quidnovi / Academia Portuguesa da História, 2009. A edição de A Guerra na Antiguidade (3 volumes), Lisboa, Editora Caleidoscópio/Centro de História da Universidade de Lisboa, 2007 a 2009. Foi coordenador, com Hermenegildo Fernandes, do volume duplo 16/17 da CLIO – Revista do Centro de História da Universidade de Lisboa, Nova Série, nº 16/17, Lisboa, 2008. Foi autor do capítulo: «D. Mecia Lopes de Haro», no II volume da Colecção Rainhas de Portugal, editado pelo Círculo de Leitores em 2012, colecção coordenada por Ana Maria Rodrigues, Manuela Santos Silva e Isabel dos Guimarães Sá. É, também, autor do capítulo: «D. Sancho II, o Capelo. 1223-1248», no Iº volume da História dos Reis de Portugal. Da fundação à perda da independência, coord. de Manuela Mendonça, Lisboa, Academia Portuguesa da História / Quidnovi, 2010, pp. 151-195. Autor do artigo: «Um Papa. Um Rei. Uma Sombra. A deposição de D. Sancho II: a imagem régia entre fragmentos de memória», publicado em CLIO – Revista do Centro de História da Universidade de Lisboa, Nova Série, 16/17, Lisboa, 2007, pp. 155-179, entre outros.

Ver mapa

A Escócia dos Mil Castelos

desde 2580€

por pessoa

Localização

Ver Galeria

A Escócia dos Mil Castelos

desde 2580€

por pessoa

  • Preços por pessoa
    Mínimo de 15 participantes
  • Em quanto duplo
    2.580€
  • Suplemento quarto individual
    365€

 

O preço inclui

  • Acompanhamento por parte do Prof. José Varandas durante toda a viagem;
  • Acompanhamento por um elemento de Novas Fronteiras Viagens durante toda a viagem;
  • Passagem aérea em classe económica para percurso Lisboa /Amesterdão/ Edimburgo/ Amesterdão / Lisboa, em voo regular KLM com direito a 1 peça de bagagem com 23 kg;
  • 6 noites de alojamento em hotéis de 4*;
  • Pensão completa (6 pequenos almoços, 6 almoços e 6 jantares);
  • Todos os transportes como indicado no programa;
  • Passeio de barco no Lago Lomond e Lago Ness;
  • Ferry de/para a Ilha de Mull;
  • Guias locais de expressão portuguesa;
  • Todas as visitas mencionadas no itinerário;
  • Todas as entradas mencionadas no programa;
  • Todos os impostos aplicáveis;
  • Taxas de aeroporto, segurança e combustível no montante de 70.47€ (à data de 08/01/2018) – a reconfirmar e atualizar na altura da emissão da documentação;
  • Seguro Multiviagens;

O preço não inclui

  • Bebidas às refeições;
  • Gratificações a guias e motoristas;
  • Tudo o que não esteja como incluído de forma expressa;
  • Despesas de carácter particular designados como extras.