Top
China Imperial e Rota de Seda - Novas Fronteiras Viagens
fade
2377
tour-item-template-default,single,single-tour-item,postid-2377,mkd-core-1.1.1,mkdf-tours-1.3.1,voyage-ver-1.5,mkdf-smooth-scroll,mkdf-smooth-page-transitions,mkdf-ajax,mkdf-grid-1300,mkdf-blog-installed,mkdf-breadcrumbs-area-enabled,mkdf-header-standard,mkdf-sticky-header-on-scroll-up,mkdf-default-mobile-header,mkdf-sticky-up-mobile-header,mkdf-dropdown-default,mkdf-light-header,mkdf-medium-title-text,mkdf-title-with-subtitle,wpb-js-composer js-comp-ver-5.2.1,vc_responsive
 

China Imperial e Rota da Seda

Grandiosidade imperial
Viagens com especialistas / China Imperial e Rota da Seda

China Imperial e Rota da Seda

desde 4550€

por pessoa
A REAGENDAR.
11 Jun - 26 Jun 2020
17 dias
Mín. 12 Pessoas

 

Viagem à China

 

Uma viagem única e fascinante por terras da China.

Depois do voo, via Helsínquia, com o conforto e excelente serviço da Finnair, eis-nos em Pequim (Beijing) capital do império chinês nas dinastias Yuan, Ming e Qing, de 1279 a 1911. Tempo para descobrirmos a grandiosidade imperial dos seus monumentos, Cidade Proibida, Palácio de Verão, Templo do Céu e sentirmos o pulsar da, também moderna, capital. Um dia de visita à fantástica Grande Muralha da China, 80 quilómetros a norte de Pequim, fechará este nosso contacto inicial com o mundo chinês.

Um outro voo levar-nos-á então para as paragens distantes da Rota da Seda Chinesa, com as montanhas e os desertos do Taklamakan e do Gobi, as cidades oásis de Turfan,  Dunghuang e Jiayuguan. De comboio TGV, de autocarro, até de camelo, percorreremos lugares mágicos cheios de História. Na província de Gansu visitaremos templos e grutas budistas penduradas na falésia das montanhas, iremos ao templo de Labrang, do lamaísmo, o budismo tibetano, o maior e mais importante da China fora do Tibete.

Será altura de, em novo comboio TGV, seguirmos para Xi’an, a Roma chinesa, velha capital da China Clássica nas dinastias Qin e Han, desde 221 a.C. a 220. Aqui terminava o extenso percurso da Rota da Seda. Outra vez capital durante a dinastia Tang, de 618 a 907, a cidade foi, nesses séculos, a maior, mais pujante e civilizada metrópole do globo. Quase três dias em Xi’an possibilitar-nos-ão, entre outros, a visita aos espantosos Guerreiros de Terracota, do século III a.C, aos jardins de Huangqingsi, do século II, cheios de História, à original Mesquita Muçulmana, do século VIII, às Muralhas da Cidade, ao templo de Confúcio e Floresta das Estelas.

Cansados, após dezasseis dias de uma viagem inesquecível, será tempo do regresso à “nossa ditosa Pátria”, via Helsínquia.

Ver itinerário

China Imperial e Rota da Seda

desde 4550€

por pessoa
A REAGENDAR.

1º Dia – 10 de Junho (4ª feira) – LISBOA | HELSINQUIA | PEQUIM

Comparência no aeroporto para formalidades de embarque em voo da companhia aérea Finnair com destino a Pequim via Helsínquia.

2º Dia – 11 de Junho (5ª feira) – PEQUIM

Bem-vindo a Pequim (Beijing!)

Transporte privado do aeroporto ao hotel, com guia local.

Depois da instalação, descanso e almoço, iremos passear na Praça Tiananmen e continuaremos com a  visita à Cidade Proibida, o imenso Palácio Imperial começado a construir em 1403 por ordem do poderoso imperador Yong Le, o terceiro soberano da dinastia Ming (1368-1644). O Palácio serviu como centro administrativo e, com as suas 9.999 salas e quartos, foi a  residência para os imperadores e concubinas durante as dinastias Ming e Qing, até 1911. Impecavelmente conservada e restaurada, a  Cidade Proibida mantém as cores vivas de sua antiga glória. E leva-nos de viagem pela História e cultura chinesa.

Muito útil verem, ou reverem, o filme “O Último Imperador”, de Bernardo Bertolucci, de 1987, parcialmente filmado no interior deste majestoso complexo da  Cidade Proibida.

Jantar e descanso.

3º Dia – 12 de Junho (6ª feira) – PEQUIM

Vamos ao Templo do Céu. Todas as manhãs, uns tantos habitantes de Pequim espalham-se pelo imenso parque e jardins do Templo para fazer exercício, dançar, cantar, jogar cartas, etc, uma parte essencial da vida quotidiana chinesa. Iremos ao seu encontro.

Em seguida, avaçaremos para o Templo do Céu, do sec. XV. Embora simples na estrutura, o templo é fortemente simbólico. Os antigos imperadores consideravam-se mensageiros da vontade do céu -- crenças anteriores ao budismo e ao taoísmo --, e aqui vinham, todos  os anos, rezar aos deuses, pedindo paz, prosperidade e boas colheitas para o Império.

Almoço e seguiremos para outro local emblemático: o Palácio de Verão. Inicialmente construído como um jardim imperial, a área foi redesenhada no século XVIII pelo imperador Qianlong. Explore a mistura de pavilhões , lagos, pagodes e jardins que preenchem a área. Os destaques incluem o Longo Corredor, o Barco de Mármore, a Ponte dos Dezassete Arcos e a Colina da Longevidade. Antes de retornar ao hotel, caminharemos pela Avenida Wangfujing, em contacto com a movimentada noite de Pequim. Destaque para a passagem pela Igreja católica de Dongdang ou de S. José, construída em 1650 pelo nosso padre jesuíta Gabriel de Magalhães (1610-1677).

Jantar.

4º Dia – 13 de Junho (sábado) – PEQUIM

Acordaremos cedo para seguir para a secção Jinshanling da Grande Muralha, subindo de teleférico até o topo da muralha. Surpreenda-se com o tamanho imponente e majestoso desta estrutura antiga e fascine-se com as histórias lendárias de quem a construiu. Capture imagens espetaculares da Muralha banhada pela luz da manhã.

Se o tempo permitir, um piquenique será servido na Grande Muralha. (Opção B: Restaurante local). Ao retornar à cidade, possível visita a uma fábrica de cloisonné, artesanato artístico típico de Pequim, e passaremos em frente ao Estádio Olímpico, o Ninho do Pássaro e o Cubo de Água para fotos.

À noite, jantar de festa com um dos pratos mais tradicionais da cidade o Pato Lacado de Pequim, no Hua Jia Yi.

5º Dia – 14 de Junho (domingo) – PEQUIM | URUMQI | TURPAN

Transfer privado para o aeroporto. Voo doméstico entre Pequim e Urumqi.

Bem-vindo a Urumqi.

Depois da  chegada a Urumqi, transfer em autocarro, 110 kms até Turpan. Estamos agora em plena Rota da Seda Chinesa, na extrema do deserto deTaklamakan. Chegada ao hotel, check-in e restante dia livre nesta pequena mas interessantíssima cidade, predominantemente povoada por muçulmanos uigures, uma das grandes minorias nacionais desta região autónoma de Xinjiang.

Jantar.

6º Dia – 15 de Junho (2ª feira) – TURPAN

Visita ao museu local, às grutas budistas de Bezeklik, que datam do século V ao XIV situadas entre as cidades de Turpan e Shanshan, num espantoso desfiladeiro verdejante nas Montanhas Flamejantes.  Ida ao Vale das Uvas, à mesquita de Emin, com o minarete mais alto daChina, 44 metros, aos canais subterrâneos de Karez, às ruínas abandonadas da cidade de Jiaohe, tudo em plena Rota da Seda. Almoço

O Império Qing, a última dinastia chinesa, conquistou esta região muçulmana  e mongol na década de 1750, derrotando os mongóis Dzungar.

Jantar.

7º Dia – 16 de Junho (3ª feira) – TURPAN | DUNHUANG

Seguimos de comboio para a cidade de  Dunhuang, uns 400 quilómetros atravessando parte do deserto de Gobi, no rápido TGV chinês. Dunhuang é um fantástico lugar situado num vasto oásis, no coração da Rota da Seda. Visitaremos as enormes (260 metros de altura!) Dunas da Areias que Cantam e o Lago da Lua. Passeio de três quilómetros, pelo deserto, montando simpáticos camelos. Atenção que na China, o camelo é um animal nobre.

Almoço e jantar.

8º Dia – 17 de Junho (4ª feira) – DUNHUANG | JIAYUGUAN

Hoje visita às Grutas budistas de Mogao e Museu de Dunhuang, a 25 quilómetros da cidade. Escavadas na falésia, iniciadas no século IV, completadas no século XIV,as quase 500 Grutas de Mogao são consideradas uma das mais importantes coleções de arte budista do mundo. Em seu auge, durante a dinastia Tang (618–907), o local abrigava 18 mosteiros, mais de 1.400 monges e monjas, e inúmeros artistas, pintores e calígrafos.

Almoço

De tarde viagem no TGV chinês (350 kms) para Jiayuguan.

Alojamento e jantar.

9º Dia – 18 de Junho (5ª feira) – JIAYUGUAN | LANZHOU

Na passagem e fortaleza de Jiayuguan, outro oásis no deserto de Gobi, termina, a Ocidente, o espantoso traçado da Grande Muralha da China. Iremos agora reencontrá-la e subi-la, uma vez mais. Extraordinárias vistas sobre a montanha Qilian, com 5.500 metros de altitute, coberta de neves eternas,  sobre os infindáveis horizontes do deserto de Gobi.

Almoço. Aqui morreu em 1607 o jesuíta Bento de Góis, após a viagem de dois anos pela Rota da Seda desde Acra, na Índia. Iremos falar da sua viagem. Jantar e comboio TGV para Lanzhou. Dormida em Lanzhou, capital da província  de Gansu, cidade atravessada pelo alto rio Amaraelo.

10º Dia – 19 de Junho (6ª feira) – LANZHOU | XIAHE

De manhã, visitaremos o Museu de Gansu, e viajaremos, de autocarro, para as Cavernas dos Mil Budas de Binging, iniciadas no sec. IV. Almoço. Em seguida, dirigimo-nos para Xiahe para passar a noite. Jantar.

11º Dia – 20 de Junho (Sábado) – XIAHE | LANZHOU

Dia inteiro com visita ao  Mosteiro Budista de Labrang, do lamaísmo tibetano. Construído em 1707, vivem hoje neste mosteiro cerca de 1.500 monjes. Entre vales e montanhas, fica já situado na antiga região de Amdo, outrora terra tibetana. Tempo para conhecer um excepcional lugar ligado a Buda, ao Dalai Lama, à religiosidade dos homens, onde, em silêncio, se pode falar com os deuses.

Almoço.

Ao fim da tarde, regresso a Lanzhou. Jantar e alojamento.

12º Dia – 21 de Junho (Domingo) – LANZHOU | XI’AN

Pela manhã, viagem de comboio TGV (três horas) para Xi’an.

Bem-vindo a Xi’an!

Estamos agora na capital da província de Shaanxi, na mais antiga e famosa capital do Império do Meio, ligada a um passado histórico glorioso, uma espécie de Roma chinesa. Aqui, na porta Oeste da cidade, que eventualmente visitaremos, se iniciava, ou concluía a Rota da Seda. A caminho do hotel, faremos uma paragem no Túmulo do imperador Jingdi (188 a.C-141 a.C). Embora pouco visitado em relação ao exército de terracota, vale a pena o desvio. O túmulo, aberto ao público em 2006, abriga uma infinidade de figuras representando eunucos, concubinas, servidores e animais domésticos. Caminharemos ainda ao longo de um painel de vidro sobre diferentes lugares escavados recentemente.

Jantar e alojamento.

13º Dia – 22 de Junho (2ª feira) – XI’AN

Hoje é dia de visita aos famosos Guerreiros de Terracota, as sete mil esculturas em tamanho natural da guarda militar do megalómano imperador Qin Shihuang (260 a.C.-210 a.C.). descobertos em 1974, quando alguns camponeses do lugar, nos arredores de Xi’an, escavavam um poço. São um dos maiores achados arqueológicos da história da humanidade.

As estátuas são visíveis em três espaços separados, sendo o pit número 1, o mais impressionante, com cerca de 2.000 guerreiros.

Há  também um pequeno museu no local que abriga dois extraordinários carros de bronze encontrados em 1980.

Almoço e continuamos a visita nas termas e jardins de Huaqingsi, onde iremos encontrar a concubina Yang Guifei(719-756), uma das quatro beldades  da China Clássica, que tem muitas histórias para nos contar. O nosso guia português falar-nos-á também da história do Incidente de Xi’an, que aqui ocorreu em 1936, entre Zhou Enlai, Mao, Jiang Kai-shek e os seus generais, e que mudou a História recente da China.

14º Dia – 23 de Junho (3ª feira) – XI’AN

Visita ao único templo budista tibetano de toda a província, o Templo lamaísta de Guǎngrén que data originalmente do início do século XVIII, restaurado no século XX, envolto em energias espirituais e em mistérios. Uma estátua antiquíssima de Buda repousa sobre um pedestal da dinastia Tang (618-907). Só existe uma semelhante no Templo Jokhang, em Lhasa, Tibete.

Almoço e iremos subir à Torre do Sino, rigorosamente no centro de Xi’an. Aqui, todos os dias, ao alvorecer e ao crepúsculo se tocavam os sinos e os tambores anunciando o abrir ou fechar das portas da Grande Muralha que se conserva e rodeia a cidade.

15º Dia – 24 de Junho (4ª feira) – XI’AN

Hoje, vamos conhecer a original Mesquita Muçulmana de Xi’an (sec. VIII) que mistura a arquitectura chinesa com elementos da arte do Islão. Ao lado, temos um excelente lugar para compras, com a rua do Mercado Muçulmano, cheia de coisas chinesas de qualidade e baratas.

Finalizaremos o dia com a ida ao Pagode e Templo budista do Ganso Selvagem, o monumento mais famoso de Xī'ān, um dos melhores exemplos na China de um pagode ao estilo Tang (quadrado em vez de redondo), foi concluído no ano de 652 para abrigar os sutras budistas trazidos da Índia pelo monge Xuan Zang (602-664). Suas viagens inspiraram uma das obras mais conhecidas da literatura chinesa, o romance Peregrinação ao Ocidente.

16º Dia – 25 de Junho (5ª feira) – XI’AN

No último dia de excursão, vamos conhecer a Floresta das Estelas instalada junto à Muralha da cidade no antigo Templo de Confúcio. Altura para falarmos de Confúcio e do Confucionismo e nos perdermos na contemplação das estelas, pedras sobretudo em ardósia onde se registavam em caracteres as notícias, os decretos, os feitos heróicos do passado. É a História da China gravada nas pedras do tempo.

Almoço

De tarde, passeio livre por Xi’an.

Jantar com espectáculo dinastia Tang.

17º Dia – 26 de Junho (6ª feira) – XI’AN

Avião e regresso a Portugal.

Fim da Viagem
Ver especialista

António Graça de Abreu

Historiador

António Graça de Abreu nasceu no Porto, em 1947.
Licenciado em Filologia Germânica, Mestre em História da Expansão e dos Descobrimentos Portugueses, foi professor de Português em Pequim (Beijing) e tradutor nas Edições de Pequim em Línguas Estrangeiras.
Viveu em Pequim e Xangai entre 1977 e 1983.
Foi professor do ensino secundário e Assistente Convidado leccionando Sinologia no Instituto de Estudos Orientais da Universidade Nova de Lisboa, no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, actualmente na Universidade de Aveiro.
Leccionou também cursos livres de Sinologia na Missão de Macau em Lisboa, depois Delegação Económica e Comercial de Macau, ano após ano entre 1990 e 2003, e na Fundação/Museu do Oriente desde 2009.

Traduziu para português a peça de teatro Xi Xiang Ji (O Pavilhão do Ocidente), de Wang Shifu (1260?-1320?), editada em 1985 pelo Instituto Cultural de Macau, e também as antologias Poemas de Li Bai, Poemas de Bai Juyi, Poemas de Wang Wei, Poemas de Han Shan e Poemas de Du Fu publicadas em Macau, respectivamente, em 1990, 1991, 1993, 2009 e 2015.
Traduziu também o Tao Te Ching, editado em Portugal pela Vega Ed., 2013. Outro trabalho seu é Toda a China I e II, 2013 e 2014, Ed. Guerra e Paz, um extenso conjunto de textos sobre as suas muitas viagens e vivências exactamente por todo o território da República Popular da China, mais Taiwan, Hong Kong e Macau.

Organizou, com Carlos Morais José, e traduziu para português parte da antologia Quinhentos Poemas Chineses que teve duas edições, uma em Macau, 2013 e outra em Lisboa, 2014.

Historiador e poeta é autor da biografia de D. Frei Alexandre de Gouveia, Bispo de Pequim (1751-1808), co-autor (com Roderich Ptak e Zhang Weimin), dos dois volumes da Sinica Lusitana, 2001 e 2004, e dos livros de poesia China de Jade, 1997, China de Seda, 2002, Terra de Musgo e Alegria, 2005, China de Lótus, 2006, Cálice de Neblinas e Silêncios, 2008, A Cor das Cerejeiras, 2010 e Haikus do Japão e do Mundo, 2016.
Publicou ainda o Diário da Guiné, 2007, o relato de guerra dos seus dois anos, 1972/1974, como alferes miliciano num Comando de Operações na antiga Guiné Portuguesa.

Entre 1996 e 2002 pertenceu ao Board da European Association of Chinese Studies (Heidelberg, Edimburgo e Torino).

Com a tradução dos Poemas de Li Bai, António Graça de Abreu obteve o Prémio Nacional de Tradução 1990, do PEN Clube Português/Associação Portuguesa de Tradutores.

 

Ver mapa

China Imperial e Rota da Seda

desde 4550€

por pessoa
A REAGENDAR.

Localização

Ver Preços

China Imperial e Rota da Seda

desde 4550€

por pessoa
A REAGENDAR.

Hotéis Previstos (ou Similares)

  • CIDADE / HOTEL
    Categoria
    Tipo de Quarto
  • Beijing / Penta Hotel
    Superior – 4*
    Penta Room
  • Turpan / Shuangcheng Hotel
    Superior – 4*
    Superior Room
  • Dunhuang / Fuguo Hotel
    Superior – 4*
    Superior Room
  • Jiayuguan / Jiayuguan Hotel
    Superior – 4*
    Superior Room
  • Lanzhou - Sappire hotel
    Superior – 4*
    Superior Room
  • GÉNOVA - HOLIDAY INN GENOVA
    Superior – 4*
    Superior Room
  • Xiahe / Nivarna Hotel
    Superior – 4*
    Superior Room
  • Xi’an / Grand Mercure Hotel
    Superior – 4*
    Superior Room

 

  • Preços por pessoa
    Mínimo de 12 participantes
  • Base de quarto Duplo
    4550€
  • Suplemento quarto individual
    500€

 

O preço inclui

  • Acompanhamento de António Graça de Abreu durante toda a viagem;
  • Acompanhamento por um elemento de Novas Fronteiras Viagens durante toda a viagem;
  • Passagem aérea em classe económica para percurso Lisboa / Hesínquia / Pequim - Xian / Lisboa, em voo regulares FINNAIR com direito a 1 peça de bagagem com 23 kg;
  • Voo interno Pequim/ Urumqi em linha regular;
  • Ligações de comboio mencionadas;
  • 15 noites de alojamento em hotéis de 4*****;
  • Pensão completa, desde o almoço do 1º dia ao pequeno almoço do último dia (excepto almoço do 5º dia – em voo) ;
  • Todos os transportes como indicado no programa;
  • Guias locais de expressão espanhola ou inglesa, conforme disponibilidade;
  • Todas as visitas mencionadas no itinerário ;
  • Todas as entradas mencionadas no programa;
  • Todos os impostos aplicáveis;
  • Taxas de aeroporto, segurança e combustível no montante de 351,35€ (à data de 12/9/2019) – a reconfirmar e actualizar na altura da emissão da documentação;
  • Seguro Multiviagens Vip;
  • Todas gratificações.

O preço não inclui

  • Bebidas às refeições;
  • Tudo o que não esteja como incluído de forma expressa;
  • Despesas de caráter particular designados como extras.